A reorganização da classe trabalhadora acentua-se

Editorial d’A Centelha nº 18 Em Março escrevemos que “grupos profissionais ligados à logística e aos transportes” poderiam “estrangular o capital com uma greve (…) na circulação de mercadorias, matérias-primas ou força-de-trabalho”, e que a requisição civil seria utilizada com muito maior facilidade contra uma greve deste tipo após a sua utilização contra os enfermeiros.…

Os novos passes sociais: uma renda para o capital

Artigo de Sofia Cazel, Socialismo Revolucionário A subida brutal das rendas, que resultou na expulsão massiva de trabalhadores dos centros de Lisboa e do Porto para cada vez mais longe, os salários de miséria e os preços absurdos dos passes — que chegavam a 30% do salário mínimo —, geraram uma situação em que um…

As eleições europeias e as lutas de classes

Artigo de Ismail X, Socialismo Revolucionário Não é um acaso que a abstenção tenha sido a vencedora na maioria das eleições europeias. A crise dos órgãos da democracia burguesa é internacional, e duas décadas de políticas de ataques aos direitos laborais e de cortes nos serviços e no investimento públicos deixaram a sua marca na…

Comunicado: Sobre a crise do governo PS.

O Comité Executivo do Socialismo Revolucionário   Ao juntar-se a PCP e BE na aprovação da contagem integral do tempo de serviço dos professores em comissão parlamentar, o PSD e o CDS-PP tiveram como único objectivo desestabilizar o governo, aproveitando da forma mais oportunista a luta dos professores e tendo em vista as próximas eleições…

Um país em colapso

Artigo de Sofia Cazel e Ismail X, Socialismo Revolucionário O investimento público deste governo é mais uma prova de que a “viragem da página da austeridade” é uma mentira. Neste sector, mantêm-se os valores ínfimos de investimento do governo PSD/CDS que são a antecâmara da privatização. E por mais que se neguem os cortes e…

Editorial: Contra a lei da requisição civil: greve geral!

Editorial d’A Centelha nº 17 Para entender o momento em Portugal, é fundamental entender o estado internacional do capitalismo. De Paris a Port-au-Prince, há protestos que não se vergam nem perante a repressão mortal. Na Índia eclodem as maiores greves da História. A China é assolada por greves “selvagens” sector após sector e mesmo nos…

Orçamento do Estado 2019: o preço da capitulação

Editorial d’A Centelha nº 16 Há um ano atrás analisávamos o Orçamento do Estado (OE) de 2018 e alertávamos para o preço da desmobilização, o preço pago pelos trabalhadores dada a política de paz social levada a cabo pelas direcções reformistas das principais organizações dos trabalhadores: BE, PCP e CGTP. No final de um ano,…