PS: um mal cada vez maior

Editorial d’A Centelha nº9 edição de Maio/Junho Depois de injectar 4,9 mil milhões de euros no Novo Banco para o entregar a custo zero aos especuladores da empresa estado-unidense Lone Star, garantindo ainda outros 3,9 mil milhões de euros para cobrir qualquer crédito mal-parado — ou seja, depois de despejar a riqueza produzida por todos…

A importância de voltar às ruas

Editorial d’A Centelha nº 8 edição de Março/Abril A redução do défice e a continuação da austeridade Fazendo o balanço do primeiro ano da Geringonça, o Partido Socialista (PS) apresenta-nos, aparentemente, a prova irrefutável do seu sucesso governativo: a redução do défice orçamental para 2,1% do Produto Interno Bruto (PIB). Isto, diz-nos, enquanto avança com…

Mário Soares: Herói da democracia ou da burguesia?

Luís Sombreireiro, Socialismo Revolucionário Lisboa O recente falecimento de Mário Soares — líder histórico do Partido Socialista (PS), primeiro ministro de Portugal entre 1976 e 78 e entre 1983-85, mais tarde Presidente da República — mereceu forte cobertura mediática, honras de Estado e uma discussão sobre a sua vida política. Existe uma opinião dominante: a…

O reformismo sem reformas

Editorial d’A Centelha nº7 edição de Janeiro/Fevereiro Em linhas gerais, o Orçamento Geral do Estado de 2017 (OE17) manteve a austeridade dos anteriores governos, prolongando o saque à classe trabalhadora. O reforço marginal da dotação orçamental para a Educação (+3,1%) face ao valor orçamentado em 2016, na verdade está abaixo do valor de facto alocado…

Por uma nova Europa

Editorial d’A Centelha nº 5 Edição Julho/Agosto Há um ano, perante a capitulação de Tsipras na Grécia, declarámos que o europeísmo de esquerda estava morto. Grande parte das direcções da esquerda europeia, no entanto, parece ser incapaz de enterrar esse cadáver político. Assim, no Reino Unido, a maioria dos partidos e dos sindicatos, durante o…

A linha vermelha

Editorial do nº 4 d’A Centelha, revista do Socialismo Revolucionário A juventude e os trabalhadores em França voltam às ruas, fazem greves, manifestações e ocupações de praças, erguendo-se contra a nova Lei Laboral num movimento a que chamaram Nuit Debout (Noite de Pé) e que pode resultar numa greve geral capaz de derrotar o projecto…

Um Orçamento que serve o capital financeiro

Frederico Aleixo, publicado n’A Centelha nº 3 A discussão tecnocrática em torno do Orçamento do Estado (OE) tenciona colocá-lo acima da luta de classes, escamotear os interesses económicos que realmente defende. Ele é uma manifestação concreta da disputa entre os interesses do Capital e do Trabalho na distribuição do rendimento nacional, visível na contradição entre…