Orçamento do Estado 2019: o preço da capitulação

Editorial d’A Centelha nº 16 Há um ano atrás analisávamos o Orçamento do Estado (OE) de 2018 e alertávamos para o preço da desmobilização, o preço pago pelos trabalhadores dada a política de paz social levada a cabo pelas direcções reformistas das principais organizações dos trabalhadores: BE, PCP e CGTP. No final de um ano,…

Dos cravos à geringonça – A crise da esquerda portuguesa

Artigo de Gonçalo Romeiro, Socialismo Revolucionário Lisboa Este artigo é uma versão actualizada e adaptada do artigo escrito no Verão de 2017 para o livro Die Linke International (A Esquerda Internacional), editado pela Manifest Verlag, em Março do ano corrente. A história da esquerda portuguesa é uma história peculiar. É marcada por três elementos chave:…

Um vereador dos trabalhadores?

Artigo de João Gorizia, Socialismo Revolucionário Lisboa   Desde a tomada de posse à demissão com o escândalo de especulação imobiliária, o percurso na Câmara Municipal de Lisboa (CML) do vereador eleito pelo Bloco de Esquerda (BE), Ricardo Robles, ilustra claramente o que não pode ser um representante dos trabalhadores e qual não pode ser…

O governo PS continua o desmantelamento dos transportes

Luís Sombreireiro, Socialismo Revolucionário Lisboa, artigo d’A Centelha nº 14 Nos últimos meses tem havido um aumento na intensidade e no número de acções de luta no sector dos transportes. Um exemplo é o dos trabalhadores dos Comboios de Portugal (CP). A CP tem sido um dos serviços públicos desmantelados e divididos como parte da…

Sobre a votação das alterações à lei da nacionalidade na AR

Bruno Penha, Socialismo Revolucionário Lisboa A lei da nacionalidade Até 1981 qualquer pessoa que nascesse em solo português tinha direito à nacionalidade portuguesa, independentemente da situação legal dos pais — aplicava-se o princípio de jus soli (direito de solo). Em Outubro desse ano o governo da Aliança Democrática, coligação formada dois anos antes pelo PSD,…

OE 2018: o preço da desmobilização

Editorial d’A Centelha nº 12 edição de Janeiro/Fevereiro O Orçamento do Estado para 2018 (OE 2018) é o plano do PS para manter o equilíbrio no trapézio da luta de classes. Se funcionar, não é apenas por mérito do PS, mas também por responsabilidade da esquerda que garante a paz social enquanto o plano se…