Por um plano nacional de pleno emprego!

Comunicado distribuido na manifestação nacional de dia 3 de Julho convocada pela CGTP-IN Este governo continua a não dar resposta às necessidades mais urgentes dos trabalhadores. As poucas concessões são anuladas por impostos indirectos e pela degradação de todos os serviços públicos — saúde, educação, transportes, energia, etc. Os nossos rendimentos continuam a diminuir. O…

A condição alimentar dos trabalhadores

Tomás Nunes, publicado originalmente n’A Centelha nº 9 O Inquérito Alimentar, um inquérito realizado entre 2015 e 2016 a mais de 6000 cidadãos portugueses, já foi publicado e os dados que revela são preocupantes. A população portuguesa está longe de ter uma alimentação saudável e apresenta taxas elevadas de sedentarismo. Algumas das conclusões são que:…

Precariedade, nem no Estado nem no privado!

Bruno Penha, Socialismo Revolucionário Lisboa, publicado originalmente n’A Centelha nº 8 Posto de forma simples, um trabalhador precário é aquele que presta serviços de cariz regular sem qualquer tipo de protecção laboral. Este trabalhador chega a ter as mesmas tarefas e obrigações de colegas a contrato, mas sem nenhum dos seus direitos. Este trabalhador pode…

O direito à mobilidade e o estado dos transportes

Tomás Nunes, Socialismo Revolucionário Lisboa, publicado originalmente n’A Centelha nº7 Os transportes públicos atravessam um processo de degradação que se acentuou nas duas últimas legislaturas. No entanto, é insuficiente atribuir a culpa apenas a este governo e ao anterior, tendo em conta que o processo de degradação dos serviços começou com a privatização da Rodoviária…

Sangria do SNS

Há já muito tempo que o SNS tem sido alvo de uma degradação programada e progressiva, tendo esta sido contraposta pelo reforço da importância de seguros de saúde e unidades de saúde privadas. Tomás Nunes, Socialismo Revolucionário Lisboa, publicado originalmente em esquerda.net Pouco mudou com o atual governo. Recentemente, foram tomadas medidas que representam uma…

Controlo democrático na CGD é necessário!

João Gorizia, Socialismo Revolucionário Lisboa, publicado originalmente n’A Centelha nº 6 Depois de ser uma bóia de salvação dos desaires da banca privada portuguesa durante os últimos anos, e de ter sido durante décadas um sorvedouro de dinheiro dos trabalhadores para clientelas políticas e corporativas, os trabalhadores da Caixa Geral de Depósitos (CGD) serão agora…