O Muro caiu… e depois?

A História é escrita pelos vencedores. Contudo há vitórias que encerram em si próprias os germes das derrotas futuras.

A queda do Muro de Berlim representou para o Capitalismo mundial uma vitória. A restauração capitalista triunfou na antiga União Soviética, nos países da Europa de Leste, a China acelerou a abertura ao capitalismo, o imperialismo celebrou: “O Socialismo morreu“, ou como o porta voz do capitalismo mundial, o Wall Street Journal proclamou: “Vencemos!”

Numa altura que o Capitalismo atravessa uma crise sem procedentes, com o cortejo grotesco e obsceno de desemprego e empobrecimento de massas, guerras e intensos conflitos sociais, mais e mais activistas procuram retirar lições da História para agirem hoje, em busca de uma alternativa.

Particularmente na América Latina, mas na Europa, onde os partidos da Esquerda reforçam posições e são eleitos deputados e vereadores socialistas revolucionários, como é o caso do Deputado Europeu, Joe Higgins, eleito na Irlanda, o Socialismo reentra em cena como alternativa ao Capitalismo.

Em Portugal ressurge o debate. No PC começam a surgir textos de balanço sobre os motivos do triunfo do Capitalismo na União Soviética. Muitos activistas procuram também ideias e, principalmente formas de enfrentar o Capitalismo aparentemente triunfante.

Nesse sentido, o Colectivo Socialismo Revolucionário publica um conjunto de textos que, recusando o anti-comunismo primário dos analistas capitalistas a as influências “pós-modernas” dos que abandonaram o principio de luta de classes como motor de transformação social, procura analisar  as origens, desenvolvimento dos acontecimentos que levaram à sua queda.

O nosso objectivo é contribuir para o ressurgimento de uma corrente anti-capitalista consistente e activa, armada com a experiência histórica, que reconquiste para as ideias do Socialismo

Abolição do capitalismo com a construção de uma economia centralizada e planificada sob controlo efectivo dos trabalhadores e utentes, numa forma superior de democracia, a Democracia Socialista.

Contrariamente ao que muitos , mesmo na Esquerda, julgam, os movimentos de massas que levaram à queda dos regimes burocráticos e totalitários Estalinistas não conduziriam, necessariamente, à restauração capitalista se as ideias Marxistas não tivessem sido suprimidas nesses países.

Os artigos abordam uma análise geral, “Estalinismo e depois dele”e balanços dos movimentos e processos na antiga União Soviética, “Da ‘Perestoika’ à restauração Capitalista’, na antiga Republica Democrática Alemã, “RDA – O Poder estava na rua” e na Polónia, “A Derrota às portas da vitória”.

Relembramos que realizámos um Comício Internacional sobre este tema, em Julho passado

Esperamos assim dar o nosso contributo para o debate que se está a processar.

One Response “O Muro caiu… e depois?” →

  1. nandaloirah2010@hotmai.com

    14 de Maio de 2013

    me ajudou muito

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: