Salário Mínimo Nacional 5€/hora

Posted on 13 de Janeiro de 2016 por

1


2015-11-28-CGTP-1

Ninguém pode ser pobre, muito menos quem trabalha!

Declaração do Socialismo Revolucionário, CIT em Portugal

Este ano, o Salário Mínimo Nacional aumentou uns míseros 83 cêntimos por dia, para os 530€ brutos por mês, valor manifestamente insuficiente para um trabalhador a tempo inteiro conseguir sair da pobreza. Equivale a só se poder despender 17,6€ por dia com renda, água, luz, comunicação, alimentação e vestuário, para não falar nas despesas em saúde e educação.

Centenas de milhares de trabalhadores não conseguem sustentar-se com os miseráveis salários que recebem. Entre eles, os trabalhadores das grandes superfícies, dos call-centers, das cadeias de fast-food, da limpeza industrial, da vigilância. Outros milhares de jovens e adultos trabalham gratuitamente sob a forma de estágios, inclusive no aparelho de Estado.

Depois de meses de debate, e oposição das organizações patronais a “aumentos por decreto”, o aumento ficou muito aquém dos 600€ reivindicados pela CGTP e esquerda parlamentar. Novamente, as organizações dos patrões e a servil UGT recusam-se a reconhecer, por via de um salário justo, o devido pagamento aos seus trabalhadores.

Ninguém pode ser pobre, muito menos quem trabalha! É vergonhoso que 10% dos trabalhadores e 25% da população estejam oficialmente na pobreza. Não podemos aceitar que os grandes grupos económicos continuem a receber “borlas” de vários milhões, enquanto os trabalhadores são exauridos com taxas, impostos e com o aumento generalizado do custo de vida.

A luta por um salário digno

Nos EUA, a luta pelo aumento do salário mínimo faz-se hoje exigindo a sua duplicação. O movimento 15 Now reivindica um salário mínimo de 15$/hora, valor necessário para dar qualidade de vida aos milhões de trabalhadores que até agora viviam com salários de miséria. Tal como cá, as grandes empresas regem-se pela precariedade e pelos baixos salários. Uma nova geração de precários está à frente de um movimento que já se espalhou à maioria dos estados dos EUA, tendo conseguido vitórias em vários estados e cidades.

Exigimos o aumento imediato para os 600€. Mas não basta! Um aumento de dois ou três euros por dia não aumentará substancialmente a qualidade de vida dos trabalhadores e suas famílias. Lutamos por um aumento dos atuais 2,87€/hora para os 5€/hora, tendo por base de cálculo a semana de 40 horas de trabalho. Esse aumento deve ser imediato para as grandes empresas que lucram milhões todos os anos, mas faseado para as pequenas e médias empresas que enfrentam hoje inúmeras dificuldades.

É urgente que, coletivamente, com o Movimento Sindical e as organizações dos trabalhadores, se construa uma campanha por salários que nos permitam viver com dignidade!