Carta de protesto contra as demolições ilegais na Amadora – Bureau Europeu do CIT

Posted on 24 de Março de 2015 por

0


cwi-1

Ouvimos hoje que, uma vez mais, a Câmara Municipal da Amadora, em Portugal, conduziu demolições de casas no bairro de Sta Filomena. Duas famílias foram despejadas sem qualquer alternativa, estamos a falar de mulheres, crianças e pessoas doentes agora sem um lar.

Estas demolições são ilegais! Agosto passado o Provedor de Justiça enviou uma carta ao executivo da Câmara altertando para a situação, ele enfatizou o facto destas casas estarem construídas em terrenos privados e portanto, a sua demolição ser um assunto dos Tribunais. Ele também alertou para o contexto socio-económico de crise e pobreza destas comunidades e apelou à paragem do processo para se encontrar melhores soluções. Ele foi ignorado.

Também sabemos que no dia 5 de Março houve propostas apresentadas à Assembleia Municipal pelo PCP e BE para suspender as demolições, elas foram rejeitadas, e que os moradores na altura presentes, que falaram da sua situação desesperada, são precisamente aqueles que hoje perderam a sua casa. Esta repressão política é também inaceitável!

Assim sendo apelamos à Câmara Municipal da Amadora para que pare as demolições de casas de famílias trabalhadores pobres, manifestamos a nossa solidariedade com elas e apelamos à esquerda portuguesa e aos sindicatos para se involverem e organizarem solidariedade activa para parar esta extrema violência contra trabalhadores migrantes pobres.

Bureau Europeu do Comité por uma Internacional dos Trabalhadores (CIT)
Joe Higgins e Ruth Coppinger deputados ao parlamento irlandês pelo Socialist Party, CIT na Irlanda
Paul Murphy, deputado ao parlamento irlandês pela Anti Austerity Alliance

24/03/2015

Original

We’ve heard today that, once again, the City Council of Amadora, in Portugal, has conducted the demolition of houses in the neighborhood of Sta Filomena. Two families were evicted without any alternative, we’re talking about women, children and sick people now without a home.

This demolitions are illegal! Last August the Provedor de Justiça sent a letter to the City Council’s executive alerting for the situation, he emphasized the fact that this houses are built on private land and therefore their demolition is a matter for the courts. He also alerted for the socio-economic context of crisis and poverty of these communities and appealed for a stoppage of the process to find better solutions. He was ignored.

We also know that on the 5th of March there were propositions presented at the city council assembly from the PCP and BE to suspend the demolitions, they were rejected, and the neighbors present at the time, who spoke of their desperate situation, are precisely those who today lost their home. This political repression is also unacceptable!

Therefore we call on the City Council of Amadora to stop the demolition of houses of poor working class families, we manifest our solidarity with them and we call on the portuguese left and the Trade Unions to get involved and organize active solidarity to stop this extreme violence against poor migrant workers.

Solidarity

European Bureau of Committee for a Workers International (CWI)
Joe Higgins and Ruth Coppinger members of the Dail (Irish Parliament) for the Socialist Party, CWI in Ireland
Paul Murphy, member of the Dail for the Anti Austerity Alliance

24/03/2015