NATO Não! Trabalho, Educação!

Declaração do
Socialismo Revolucionário
Comité por uma Internacional dos Trabalhadores em Portugal

A Cimeira dos “Senhores da Guerra” da NATO está prestes a iniciar-se em Lisboa. Os mais altos dirigentes do Imperialismo e o capitalismo mundial reúnem-se em Lisboa para reforçar o papel de “policia do imperialismo” contra os países e povos, para o saque de recursos, para a intimidação de todos aqueles que ousem por em causa o Capitalismo e a Exploração.

Consciente da natureza da NATO, o Socialismo Revolucionário – Comité por uma Internacional dos Trabalhadores em Portugal integra o colectivo de centenas de organizações que promove a Manifestação “Paz, Sim” NATO Não!”

O Socialismo Revolucionário denúncia a campanha de intimidação em curso para amedrontar e desmobilizar a população do uso do seu direito fundamental de se manifestar pacificamente e apela à participação na Manifestação do próximo dia 20

NATO, uma Organização de Agressão contra os povos

Fundada como Aliança “em defesa da Democracia”, e que teve entre os seus fundadores, a ditadura de Salazar, a NATO sempre funcionou como instrumento e agressão imperialista contra os povos.

Nova estratégia, os mesmos objectivos belicistas

Sobre o pretexto da “luta contra o terrorismo” pretende-se reforçar e rearmar esta organização de guerra dominada pelo imperialismo norte-americano.

A invasão do Afeganistão nova estratégia que o Imperialismo quer imprimir à NATO é de ter um papel de policiamento e intimidação face às crescentes tensões entre os blocos imperialistas, particularmente no contexto de uma crise global do Capitalismo. O imperialismo, particularmente o dos EUA, não se coibirá de usar a NATO como pressão face à guerra cambial e diversas guerras comerciais que se desenvolvem entre os diversos blocos do Capitalismo.

Fim à despesa belicista

Os milhões de milhões colocados pelos governos nesta estrutura de agressão e destruição massiva deveriam ser canalizados para a satisfação das necessidades básicas dos povos.

Combater a NATO, por um mundo livre da ameaça de guerras

É pois, natural, que a Cimeira da NATO mobilize muitos e muitos milhares de activistas operários, sindicais e sociais, jovens, organizações populares e politicas, na denúncia e combate aos planos de “guerra infinita” do Capital e do Imperialismo contra a Humanidade.

O Imperialismo e o Capitalismo nunca se coibiram em promover a guerra e a destruição para garantir a sua sobrevivência e os seus lucros.

Apenas um Mundo livre de exploração capitalista, um mundo em que os trabalhadores e suas organizações controlem e executem a gestão dos recursos, produção e distribuição de bens para a satisfação de todos e não do lucro privado de alguns, poderá assegurar relações de cooperação e desenvolvimento pacíficos entre os povos e países.

Numa palavra, apenas um Mundo genuinamente Socialista garantirá a Paz!

Mas neste momento é necessário que cresça o movimento contra a Nato como organização promotora da guerra e da opressão.

O Socialismo Revolucionário – Comité por uma Internacional dos Trabalhadores em Portugal exige a saída de Portugal da NATO e o desmantelamento das instalações da NATO do solo português e o fim imediato da participação de Portugal na ocupação do Afeganistão .

Portugal Fora da NATO, Nato fora de Portugal!

Fim à ocupação do Afeganistão!

A Paz é possível! Por um Mundo Socialista!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s