USA – Operários de Chicago ocupam fábrica

Um exemplo combativo e militante do caminho a seguir pelo Movimento dos Trabalhadores

Will Soto, Socalist Alternative (Alternativa Socialista, o CIT nos EUA)

Na tarde de sexta-feira, 5 de Dezembro, os cerca de 260 trabalhadores em Chicago da Fábrica República das Janelas e das Portas foram informados de que a fábrica ia fechar e que iriam ser despedidos. Esses trabalhadores fazem parte da Secção Local 1110 do sindicato United Electrical Workers (Trabalhadores Electricistas Unidos). A empresa deve aos trabalhadores cerca de US$ 1,5 milhões em férias e indemnização por despedimento. Há mesmo rumores de que alguns dos seus mais recentes cheques de salários estavam a descoberto. De facto, um Feliz Natal.

Não parece que a sociedade tenha desaparecido totalmente falido. Em vez disso trabalhadores pensam que a empresa está a tentar deslocar a produção para outro Estado onde podem pagar salários mais baixos.

Os patrões pensavam que lhes bastaria empurrar os trabalhadores porta fora, ignorar as leis laborais de aviso prévio, esquecer de pagar indemnizações e férias, e fechar a loja. Os trabalhadores tinham um plano diferente – eles ocuparam a fábrica.

A ocupação começou na tarde de sexta-feira, 5 de Novembro. A polícia veio, mas saíram depois de perceber a situação e não tentaram remover à força dos trabalhadores. Os trabalhadores estão muito bem organizados e disciplinados e a ocupação bem coordenada. Eles ocupam a fábrica 24 horas por dia, em três turnos. Alguns trabalhadores estão na ocupação com as suas famílias.

Qualquer visitante da fábrica é escoltado e os trabalhadores estão mantendo uma vigilância apertada sobre tudo. A companhia já tinha embalado, e retirado, alguma da maquinaria, mas os trabalhadores sabem onde ela está e foi verificada em poucas horas. Muitos habitantes de Chicago ajudam com doações de dinheiro, comida e sacos de dormir. Várias centenas estiveram numa concentração frente à fábrica, no Sábado, 6 de Dezembro.

Esta ocupação fabril é uma ruptura bem-vinda com a tendência de encerramentos de fábricas e despedimentos sem que tenham enveredado por uma séria luta. A empresa alega que não se pode dar ao luxo de pagar os trabalhadores porque o Bank of America não irá conceder-lhe crédito. O Bank of America afirma que as dívidas da empresa não são o seu problema. O Congressista democrata Luis Gutierrez está a prepara-se  para reunir-se com o banco e a empresa, na Segunda-Feira para tentar resolver o problema. Os operários justificam a sua ira contra a gestão e o banco. Este mesmo Bank of America está entre os gigantes financeiros que se alinharam para receber a ajuda de milhares de milhões de dólares do dinheiro federal. Os trabalhadores perguntam: onde está a nossa ajuda?

Acção combativa mostra o caminho a seguir

Não há dúvida de que este corajoso passo dos trabalhadores é muito importante. Eles merecem o apoio de todos os trabalhadores e todo o movimento operário. O Alternativa Socialista saúda e apoia estes trabalhadores nesta ocupação.

Este país não tem visto muitas ocupações de fábricas no último meio século. Foi já há mais de 70 anos, que, em Michigan, o United Auto Workers (sindicato dos Trabalhadores do ramo automóvel) lutou e venceu com a greve-ocupação de Flint, em 1936-37. Após quarenta dias de feroz luta, derrotou a empresa e inspirou uma onda de ocupações fábrica. Certamente muitos líderes da ocupação desta fábrica sabem esta história e eles são preparados para a possibilidade de uma longa ocupação.

É importante notar a história única do Sindicato independente dos Electricistas, o sindicato a que pertencem a estes trabalhadores. Esse Sindicato foi formado a partir da confederação sindical americana, CIO e as tradições dos radicais do sindicalismo industrial na década de 1930. Ao contrário de algumas das mais corruptas lideranças sindicais, os seus funcionários não recebem salários exorbitantes. Durante a década de 1990, o Sindicato independente dos Electricistas apoiou a criação de um partido independente do trabalho. O lema da União é “Os membros gerem este Sindicato”. Os trabalhadores votaram democraticamente para ocupar esta fábrica.

O Sindicato independente dos Electricistas e o Conselho do Trabalho de Chicago precisam de construir publicamente o apoio a esta greve, por parte dos trabalhadores e de outros sindicatos na região de Chicago. O acto heróico destes trabalhadores poderá ser utilizado para revitalizar o movimento operário na cidade e criar uma nova tradição de militância entre a classe trabalhadora.

Esta luta será uma inspiração para os outros trabalhadores sobre a necessidade de ripostar contra cortes e despedimentos. O movimento operário deve lutar todo e cada lay-off e redução de empregos, explicando que se fianças e de propriedade pública podem ser usadas para proteger os investidores ricos, então, essas mesmas políticas que deverão ser utilizados para defender os trabalhadores.

Estes trabalhadores estão unidos e determinados a conquistar tudo o que puderem. A vitória é dificilmente garantida, mas as ocupações de fábrica ocupações são provadas tácticas usadas por todo o mundo por trabalhadores que muitas vezes não têm outro recurso contra encerramentos e despedimentos. Talvez mais importante ainda, ocupações de fábrica são importantes afirmações dos direitos dos trabalhadores de gerir e controlar os seus próprios locais de trabalho. Como um dos trabalhadores brincou no sábado, “nós temos um muito, nós temos todo este edifício.”

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s