Revolta na Grécia

Posted on 9 de Dezembro de 2008 por

1


O assassinato policial de um jovem de 15 anos desencadeou revolta de massas

Andros Payiatsos, Xekinima (CIT na Grécia)

logo-xekinhmaNo sábado passado, à noite, um grupo de jovens alunos de escolas gritaram para um carro da polícia que estava passando um café onde estavam sentados, no centro de Atenas, e atirou duas garrafas plásticas de meio litro de água no carro da polícia. Os dois policias (guardas especiais) param o carro mais à frente, saíram do carro e abordaram os estudantes. Um dos polícias tirou a arma e disparou contra os jovens, matando um deles. Os dois polícias, em seguida, simplesmente viraram as costas e foram embora!

A sociedade grega está naturalmente chocada. Houve um imediato ajuntamento de milhares de pessoas no centro de Atenas, em protesto. Houve manifestações em todas as principais cidades da Grécia no dia seguinte, domingo. Novas manifestações foram convocadas para segunda, terça e quarta feira, de manhã e à tarde. Há uma enorme raiva e fúria! Há tanta tensão dentro da sociedade, devido ao desemprego e à pobreza, devido aos 23 anos de contínua austeridade políticas, devido a escândalos e corrupção e, agora, um assassinato a sangue frio, uma execução de um jovem de 15 anos pela polícia! Este evento fez saltar a raiva numa enorme explosão.

O governo tenta argumentar que este é um «caso isolado» – o argumento habitual. As pessoas não estão dispostas a ouvir. Para a imensa maioria dos trabalhadores e da juventude a polícia agiu da forma para que é formada. A policia é vista como racista, da extrema-direita e mentirosa, que odeia os movimentos sociais e reprime brutalmente greves e manifestações. Há tantos incidentes que prova isto que ninguém precisa realmente de ser convencido.

O governo está em absoluta paralisia. Com uma maioria de um deputado (151 a 300), o governo é intrinsecamente instável. Os últimos acontecimentos poderão ser o gatilho para provocar a sua queda.

“Abaixo o governo de assassinos” é o slogan com o qual Xekinima (CWI na Grécia) intervem nesses eventos. Apelamos a ocupações de todas as escolas e universidades, e a greves, com o objectivo de derrubar o o governo. Ao mesmo tempo, apelamos a um governo à esquerda, baseada nas forças da SYRIZA (uma nova formação de esquerda composta por cerca de 11 diferentes organizações e partidos de esquerda, que intergra o Xekinima (CIT na Grécia) e do KKE (Partido Comunista da Grécia), com base em um programa socialista, ao serviço dos interesses dos trabalhadores, da juventude e dos camponeses pobres na Grécia.

O movimento de massas pode trazer reais mudanças

Este governo pode ser derrubado através de um poderoso movimento dos trabalhadores e da juventude, mas não por meio de manifestações e destruição maciça que temos visto por todo p lado, provocada por grupos anarquistas (nas fileiras dos que existem muitos agentes provocadores) na última poucos dias. Ao longo dos últimos dois dias, estes grupos têm tido mão livre em destruir tudo o que podem deitar mãos. Mas se isto continuar, vai jogar a favor do governo e do estado. Inicialmente, os trabalhadores poderiam aceitar alguns excessos por estes grupos, mas sobretudo depois da última noite de motins em todas as cidades da Grécia, o clima vai mudar. Os argumentos a favor da “lei e da ordem” vão começar a ganhar terreno. Assim, esses grupos, que não apresentam qualquer relação com o movimento de massas e, especialmente, o movimento dos trabalhadores, irá proporcionar a melhor tábua de salvação para um governo e aparelho estatal paralisados, para tentarem retomar o controlo.

Só o movimento de massas e, particularmente, a classe trabalhadora pode fazer derrubar este governo, através da acção colectiva. Apenas a classe trabalhadora pode oferecer uma alternativa para o governo e o sistema capitalista.

Para já, o conjunto do sector da educação, chegou a um impasse. Existem muitas ocupações em curso. Os professores universitários que apelaram a uma greve de 3 dias. Os professores do ensino primário e secundário apelam a uma greve de 2 dias. Amanhã, quarta-feira, 10 de Dezembro, há uma greve geral convocada pela GSEE (Confederação Grega dos Trabalhadores Gregos. Inicialmente foi convocada para protestar contra o orçamento, mas com os novos desenvolvimentos, tomará uma forma totalmente diferente.

A principal questão agora é como continuar com o movimento depois da sexta-feira? A juventude pode ser um factor decisivo – ela pode tomar a iniciativa e, assim, ajudar a classe trabalhadora a entrar na luta decisiva. Um dos factores mais importantes é o facto que o SYRIZA, como um todo, saiu com o slogan, “Abaixo o governo!” Isso pode dar uma direcção para todo o movimento e na sociedade.

Posted in: Grécia