Bolivia – Apelo Internacional de Solidariedade a Sindicalistas despedidos em greve da fome

Bolivia – Operários petroliferos iniciaram uma greve de fome para readmissão de despedidos

Apoiem os operários da Refinaria Gualberto Villarroel – enviem cartas de protesto

Há oito meses a multinacional estatal brasileira, Petrobras, que era a dona da refinaria petrolífera ‘Gualberto Villaroel’, na Bolívia, despediu dirigentes e activistas sindicais da empresa. Há dois meses, o governo do Movimiento Al Socialismo (MAS), liderado pelo Presidente Evo Morales, assumiu o controlo da refinaria mas os trabalhadores continuam a lutar pela readmissão nos seus postos de trabalho.

Ontem, 17 de Julho, os trabalhadores despedidos iniciaram uma greve de fome na capital boliviana, La Paz.


Colectivo “Alternativa Socialista”
Comité por uma Internacional dos Trabalhadores em Portugal


Apelo Internacional de Solidariedade

Dirigentes do Sindicato Mixto de Trabajadores Petroleros Gualberto Villarroel

Na Bolívia, é ilegal a qualquer patrão descriminar parte dos seus tabuladores criando vários tidos de condições de trabalho.

Contudo, diariamente, aproximadamente 300 trabalhadores contratados a prazo na Refinaria de petróleo Gualberto Villarroel em Cochabamba, Bolívia vêm-se no fundo de um descarado sistema de dois tipos de relação de trabalho. Enquanto que os trabalhadores contratados a prazo têm contratos de curto prazo de 3 meses a 2 anos, os trabalhadores que principalmente supervisionam e fazem trabalho de gestão têm contratos permanentes. Enquanto que os trabalhadores contratados a prazo recebem magros salários entre 500-800 Bolivianos/mês ($62.50-$100 USD/mês), os trabalhadores permanentes recebem entre 7,800-90,000 Bolivianos/mês ($975-$11,250 USD/mês). E enquanto os trabalhadores permanentes estão sindicalizados, quando os trabalhadores contratados a prazo formaram o seu sindicato, o Sindicato Mixto de Trabajadores Gualberto Villarroel, os seus dirigentes e os elementos mais activos sindicais foram despedidos. Até agora 32 dirigentes e trabalhadores contratados a prazo foram despedidos e mantêm-se sem trabalho.

Quando a primeira vaga de despedimentos teve lugar, há oito meses atrás, ,a refinaria Gualberto Villarroel era propriedade da Petrobras, uma corporação internacional propriedade do estado brasileiro. Os trabalhadores fizeram uma petição ao governo e depois de meses a serem ignorados foi-lhes finalmente dito que as coisas poderiam mudar uma vez que o Governo do Movimiento Al Socialismo (MAS) do Presidente Evo Morales tinham assumido o controlo da refinaria. Mais de dois meses passaram-se desde que o governo comprou as refinarias , a 11 de Maio e nada, absolutamente nada mudou. O Governo do MAS continua a violar as suas próprias leis mantendo este esquema de dois tipos de relações laborais na Refinaria Gualberto Villarroel.

Nos últimos dois meses, os trabalhadores contratados a prazo da Gualberto Villarroel escreveram formalmente cartas a representantes oficia do governo do MAS pedindo uma reunião para que as suas reivindicações sejam ouvidas. Mais tarde, foram à capital La Paz para pedirem pessoalmente uma reunião. Em cada tentativa de contacto foram ignorados pelo governo do MAS. A 9 de Junho enviaram uma carta final ao Ministro dos Hydrocarbonetos e ao presidente da Empresa Estatal de Petróleo, YPFB (que controla afora a Refinaira Gualberto Villarroel), avisando que passariam á acção directa se as suas reivindicações continuassem a ser ignoradas. Muitos dos dirigentes sindicais e outros trabalhadores despedidos decidiram ir para La Paze iniciarem uma greve de fome na próxima semana para forçar o governo a dar resposta a todas as suas reivindicações:

  • Readmissão de todos os dirigentes e activistas sindicais despedidos nos seus postos de trabalho
  • Respeito integral das leis nacionais laborais que proíbem dos tipos de relações de trabalho numa dada empresa. (Art. 2 del D.S. 28699). .
  • Todos os trabalhadores contratados a prazo devem assinar contratos permanentes
  • Respeito pelo direito à sindicalização.

O CWI-Bolivia, Alternativa Socialista Revolucionária tem estado a colaborar de perto com os trabalhadores com contratos a prazo da Refinaria Gualberto Villarroel nos últimos meses e está comprometido no apoio solidário a esta luta. O CWI-Bolivia, a pedido dos dirigentes sindicais despedidos e dos trabalhadores contratados a prazo da Refinaria Petrolifera Gualberto Villaroel, solicita aos dirigentes sindicais, trabalhadores e membros do CIT a apoiarem-nos na sua luta enviando cartas de solidariedade e cartas de protesto para os seguintes responsáveis governamentais bolivianos:

Evo Morales, Presidente da Republica da Bolivia – presidencia@caoba.entelnet.bo , Carlos Villegas, Ministro dos Hidrocarbonetos – hidrocarburos@hidrocarburos.gov.bo, Guillermo Arequipa, Presidente of Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) – webmaster@ypfb.gov.bo

Fax: (591-2) 2356540 – 2373375

Por favor enviem cópias das cartas para o CIT -Bolívia para que possam ser divulgadas pelos trabalhadores contratados a prazo da Gualberto Villarroel durante a greve de fome:

citbolivia@gmail.com

Em Solidariedade,

Dirigentes do Sindicato Mixto de Trabajadores Petroleros Gualberto Villarroel:

Angelo Saldias, Secretario Geral, Ladislao Aguilar, Secretario de Relações, Edwin Higueras, Secretario de Conflictos, David Barrancos, Secretario Organização, Jose Soto, Secretario Actas, José Estevez, Secretario Financiero, Jaime Ledesma, Secretario Deportes, Richard Saavedra, Secretario Habitação, Fernando Mogro, Vogal 1, Wilsdon Mejia, Vogal 2, Marco Rocha, Vogal 3


Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s