Venezuela: “Autogestão” dos trabalhadores e Socialismo

Militantes do CIT no TV show ‘Como se come eso’

Militantes do CIT, Caracas, 26 de Julho de 2006

Esta manhã, dois camaradas do CIT foram entrevistados no programa nacional da manhã da TV, o ‘Como se come eso’ (Como se come isso).

Este programa é feito e apresentado por jovens venezuelanos e isto é uma nova característica do canal nacional ‘Vive TV’.

O programa começou com uma reportagem sobre o ‘Socialismo Revolucionario’, o jornal do CIT na Venezuela. A seguir, dois camaradas do CIT, Johan Rivas e Karl Debbaut, foram entrevistados sobre as lutes operárias e laborais que se desenrolam pelo continente e mais especificamente acerca do fenómeno da “autogestão”. Esta é a designação dada localmente quando os trabalhadores ocupam as empresas encerradas e começam a produzir por si próprios Em toda a América Latina, maios de 5.000 empresas estão a operar sob este sistema.

Como os camaradas explicaram no programa da TV, isto não acontece porque os trabalhadores vejam a alternativa da autogestão como uma forma de desenvolver as lutas operárias ou uma alternativa à sociedade capitalista. Os trabalhadores tomas as empresas por necessidade, porque o patrão fugiu e decidiu encerrar a empresa ou porque a companhia faliu.

A “autogestão” pode ser uma importante experiência para os trabalhadores, se esta for ligada à construção do movimento operário e laboral, como um todo, e seja incorporada na luta pelo Socialismo. Quando isto não se passa, então, lamentavelmente, muitas fábricas sob autogestão se convertem, mais ou menos, a normais relações de produção capitalista e enfrentam uma dura luta para sobreviver.

Os camaradas do CIT defenderam o controlo operário sob a produção, de forma a que os operários em todas as empresas possam exercer uma medida de controlo sobre as admissões e despedimentos de pessoal, a gestão da fábrica e possam descobrir a verdadeira extensão da sua exploração. O Socialismo significa a propriedade pública dos principais sectores da economia, sob um sistema democrático operário de planeamento e gestão. O controlo operário é uma escola para a gestão operária.

O da TV Programa ‘Como se come eso’ teve outro convidado que representa o movimento camponês na Venezuela. Esse camarada concordou com a análise do CIT e sublinhou a necessidade da tomada de controlo dos meios de produção nos locais de trabalho, bem como nos campos. A necessária aliança entre as organizações operárias revolucionárias e a luta camponesa necessita de ser construída para se avançar para um genuíno Socialismo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s